Logo do CSS Components

É possível utilizar componentes desenvolvidos apenas com CSS?

Após o lançamento do CSS Components, escrevo as minhas impressões sobre o quanto é possível utilizar componentes desenvolvidos apenas com CSS.

Sobre o projeto

Sou apaixonado por qualquer coisa desenvolvida usando apenas CSS. Isso começou em meados de 2012, quando tive contato com o Homer do Bernard de Luna, no mesmo dia desenvolvi o Cartman e não parei mais, fiz outras brincadeiras com CSS, mas principalmente comecei a buscar no CSS, soluções utilizáveis para os projetos.

Após desenvolver alguns componentes separadamente, imaginei que seria muito mais interessante deixar tudo em um local só.

As possíveis técnicas

Todos os componentes foram desenvolvidos usando duas técnicas: :target e input hidden.

Isso porque, através dessas técnicas conseguimos de fato fornecer um estado para um elemento alvo. Ou seja, conseguimos saber qual elemento está "ativo" e fornecer qualquer interação que podemos imaginar (e que os navegadores atuais suportem :p).

Componentes

Carrossel

Ver componente.

Vamos observar o HTML:

<!-- Carousel -->
<div class="carousel">
  <div class="carousel-inner">
    <input class="carousel-open" type="radio" id="carousel-1" name="carousel" aria-hidden="true" hidden checked>
    <div class="carousel-item">
      ...
    </div>
    <input class="carousel-open" type="radio" id="carousel-2" name="carousel" aria-hidden="true" hidden>
    <div class="carousel-item">
      ...
    </div>
    <input class="carousel-open" type="radio" id="carousel-3" name="carousel" aria-hidden="true" hidden>
    <div class="carousel-item">
      ...
    </div>
    <label for="carousel-3" class="carousel-control prev control-1">‹</label>
    <label for="carousel-2" class="carousel-control next control-1">›</label>
    <label for="carousel-1" class="carousel-control prev control-2">‹</label>
    <label for="carousel-3" class="carousel-control next control-2">›</label>
    <label for="carousel-2" class="carousel-control prev control-3">‹</label>
    <label for="carousel-1" class="carousel-control next control-3">›</label>
    <ol class="carousel-indicators">
      <li><label for="carousel-1" class="carousel-bullet">•</label></li>
      <li><label for="carousel-2" class="carousel-bullet">•</label></li>
      <li><label for="carousel-3" class="carousel-bullet">•</label></li>
    </ol>
  </div>
</div>

Existe um <input class="carousel-open" type="radio" hidden > antes de cada item.

Usamos ainda pares de <label> com o for apontando para o item alvo. Esse é o truque.

Para os bullets de indicadores, também usamos <label> com o for apotando para o item alvo.

E agora o CSS passo a passo:

.carousel-inner {
  position: relative;
  overflow: hidden;
}

O overflow: hidden para nada aparecer fora do bloco e o position: relative para os filhos ficarem absolutos em relação a ele.

.carousel-item {
  position: absolute;
  .opacity(0);
  .transition(opacity .6s ease-out);
}

Deixamos todos os itens invisíveis através da opacidade 0. É definida uma animação de 6 segundos durante a mudança de opacidade. O position: absolute serve para os itens ficarem posicionados sem influenciar no tamanho do container.

.carousel-open:checked + .carousel-item {
  position: static;
  .opacity(100);
}

Atribuímos que quando o .carousel-item for o irmão imediato + do .carousel-open (no caso um <input radio hidden>) que estiver checkado, ficará visível e vai ficar com o position: static, e assim terá um tamanho que vai influenciar o container.

.carousel-control {
  display: none;
}

#carousel-1:checked ~ .control-1,
#carousel-2:checked ~ .control-2,
#carousel-3:checked ~ .control-3 {display: block;}

Esse pedaço de código é para que os controles (as setas) funcionem da maneira esperada. Por padrão elas ficam com display: none e passam a ter display: block quando o irmão ~ especifico estiver checkado.

No HTML, definimos três pares de label que servirão como controles (no caso um carrossel com três itens), cada um deles habilita um item, e esses vão habilitar o par de label necessária.

.carousel-bullet {
  color: #fff;
}

#carousel-1:checked ~ .control-1 ~ .carousel-indicators li:nth-child(1) .carousel-bullet,
#carousel-2:checked ~ .control-2 ~ .carousel-indicators li:nth-child(2) .carousel-bullet,
#carousel-3:checked ~ .control-3 ~ .carousel-indicators li:nth-child(3) .carousel-bullet {
  color: @color-primary;
}

Aqui ativamos o indicador. Basicamente, quando o item ativo for irmão do par de controle especifico, e esse também for irmão do indicador que desejamos alcançar (exemplo li:nth-child(x))... ele também ficará ativo.

Collapse

Ver componente.

O HTML:

<!-- Collapse -->
<div class="collapse">
  <label class="collapse-open" for="collapse-1">Lorem ipsum dolor sit amet</label>
  <input class="collapse-open" type="checkbox" id="collapse-1" aria-hidden="true" hidden />
  <div class="collapse-content">
    <div class="collapse-inner">
      ...
    </div>
  </div>
</div>

Também vamos usar <input hidden />, mas nesse caso vamos usar um type="checkbox".

E se precisar que o Collapse funcione como um "accordion", basta usar type="radio" e o mesmo name="" para todos do grupo.

E o CSS:

.collapse-painel {
  display: none;
}

.collapse-open:checked ~ .collapse-painel {
  display: block;
}

Esse é bem simples, por padrão todos os .collapse-painel vão ser display: none e quando o elemento .collapse-open estiver checkado, o .collapse-painel irmão ~ vai assumir display: block.

Dropdown

Ver componente.

O HTML:

<!-- Dropdown -->
<div class="dropdown">
  <label for="dropdown-1" class="btn btn-dropdown">One Dropdown</label>
  <input class="dropdown-open" type="checkbox" id="dropdown-1" aria-hidden="true" hidden />
  <div class="dropdown-inner">
    ...
  </div>
</div>

O funcionamento é muito parecido com o Collapse, um <input hidden />, com type="checkbox".

E o CSS:

.dropdown-inner {
  position: absolute;
  .opacity(0);
  .transition(opacity .1s);
  visibility: hidden;
}

O dropdown terá position: absolute e por padrão vai ter .opacity(0) e visibility: hidden para ficar escondido. O motivo de usar visibility: hidden e não display: none é porque dessa forma conseguimos adicionar efeito de transição, aplicado com .transition(opacity .1s);.

.dropdown-hover:hover .dropdown-inner,
.dropdown-open:checked ~ .dropdown-inner {
  .opacity(100);
  visibility: visible;
}

Quando o .dropdown-hover ou .dropdown-open estiverem com status :hover ou :checked, o .dropdown-inner irmão ~ vai ficar visível.

Modal

Ver componente.

O HTML:

<a href="#modal-one" class="btn">Example</a>

<!-- Modal -->
<div class="modal" id="modal-one" aria-hidden="true">
  <div class="modal-dialog">
    <div class="modal-header">
      ...
      <a class="btn-close" href="#" aria-hidden="true">×</a>
    </div>
    <div class="modal-body">
      ...
    </div>
    <div class="modal-footer">
      ...
    </div>
  </div>
</div>

Também poderia ser usado a técnica do <input hidden />, mas dessa vez vamos usar o :target. Temos portanto uma estrutura padrão de Modal com o botão fazendo referencia ao id do modal que desejamos ativar.

O CSS:

.modal {

  // This is modal bg
  &:before {
    content: "";
    display: none;
    background: rgba(0,0,0,.6);
    position: fixed;
    top: 0; left: 0; right: 0; bottom: 0;
    z-index: 1001;
  }

  &:target {

    // Active animate in modal
    &:before {
      display: block;
    }
    .modal-dialog {
      .translate(0, 0);
      top: 20%;
    }

  }

}

O :before cria o background do modal (o fundo escuro), dessa forma não precisamos criar nenhum elemento adicional, por padrão ele tem display: none.

Através do :target informamos que o background (:before) terá display: block e o elemento .modal-dialog terá o translate zerado e top: 20%.

// Mixin for transition/transform
.transition-transform(@transition) {
  -webkit-transition: -webkit-transform @transition;
     -moz-transition: -moz-transform @transition;
       -o-transition: -o-transform @transition;
          transition: transform @transition;
}

// Modal dialog
.modal-dialog {
  margin-left: -300px;
  position: fixed;
  left: 50%;
  top: -100%;
  .translate(0, -500%);
  .transition-transform(~"0.3s ease-out");
  width: 80%;
  max-width: 600px;
  z-index: 1111;
}

Deixamos com .translate(0, -500%), assim ele fica fora da área visível, para a animação usamos .transition-transform(~"0.3s ease-out"), que está definido em um mixin. O top inicial fica definido com -100%.

Tab

Ver componente.

O HTML:

<!-- Tab -->
<div class="tab">

  <!-- Tab Painel -->
  <div class="tab-painel">
    <input class="tab-open" id="tab-1" name="tab-wrap-1" type="radio" aria-hidden="true" hidden checked>
    <label class="tab-nav" for="tab-1">Tab 1</label>
    <div class="tab-inner">
      ...
    </div>
  </div>

  <div class="tab-painel">
    <input class="tab-open" id="tab-2" name="tab-wrap-1" type="radio" aria-hidden="true" hidden>
    <label class="tab-nav" for="tab-2">Tab 2</label>
    <div class="tab-inner">
      ...
    </div>
  </div>

  <div class="tab-painel">
    <input class="tab-open" id="tab-3" name="tab-wrap-1" type="radio" aria-hidden="true" hidden />
    <label class="tab-nav" for="tab-3">Tab 3</label>
    <div class="tab-inner">
      ...
    </div>
  </div>

</div>

Mais um caso de uso do <input hidden /> do tipo radio.

A maior diferença dessa estrutura para a usada normalmente para tabs, é não ter um elemento de agrupamento para o menu. Precisamos utilizar um <label> com a classe .tab-nav, entre o <input hidden /> e o .tab-inner

O CSS:

.tab{
  position: relative;
}

.tab-painel{
  display: inline-block;
  min-height: 150px;
}

Adicionamos position: relative na .tab para que os elementos absolutos se posicionem a partir dele. No .tab-painel colocamos um tamanho minimo e display: inline-block para que fique lado-a-lado.

.tab-nav {
  border: @gray-light solid 1px;
  cursor: pointer;
  display: inline-block;
  padding: (@space / 2) @space;
  margin-right: @space;
}

.tab-nav:hover,
.tab-open:checked ~ .tab-nav {
  background-color: @gray-lighter;
}

Aqui damos algumas características visuais simples para a .tab-nav.

.tab-inner {
  .opacity(0);
  margin-top: @space;
  position: absolute; left: 0;
  .transition(opacity .1s);
  visibility: hidden;
}

.tab-open:checked ~ .tab-inner{
  .opacity(100);
  visibility: visible;
}

Definimos que a .tab-inner por padrão seja invisível e absoluta. Em seguida definimos que ela ficará visível quando o .tab-open irmão estiver como :checked.

Teste real

E a melhor maneira de testar, é aplicando em um projeto real. Para isso escolhi meu site.

Aqui um resultado de teste no GTMetrix antes da alteração.

Resultado com JavaScript

Fui radical e removi todo o JavaScript do projeto. Passei a usar o CSS Componentes de Modal e Collapse.

Resultado sem JavaScript

Como plus, otimizei o carregamento dos icones e retirei a imagem de "fork".

Resultado Otimizado

Como podem observar, o resultado ao usar o CSS Components foi satisfatório. Mas o que trouxe mais resultados foi essa pequena otimização, retirando a imagem de "fork" e melhorando o carregamento dos ícones adicionando direto no CSS, evitando assim mais requisições.

Isso mostra que qualquer ganho de performance é importante, mas alguns ajustes que muitas vezes não lembramos de fazer, podem ser mais decisivos na otimização.

Conclusão

Afirmo que SIM, é possível utilizar componentes apenas em CSS, especialmente em projetos menores. E não duvido que isso possa ser uma tendência daqui para frente.

O JavaScript se consolida cada vez mais para várias funções que não usávamos antigamente, e vejo boas possibilidades do CSS ter um papel cada vez mais importante na manipulação de interações.

Espero que tenham gostado :D