14 Hábitos de Desenvolvedores Altamente Produtivos - Resenha do Livro

Esse artigo é uma resenha desse ótimo livro e de alguns hábitos que são abordados nele 📚

Esse texto é uma versão escrita do vídeo: “14 Hábitos de Desenvolvedores Altamente Produtivos - Resenha do Livro” que publiquei no meu canal no Youtube.

Vale a pena assistir! 😊

Sobre o livro

O livro 14 Hábitos de Desenvolvedores Altamente Produtivos, foi escrito pelo brasileiro Zeno Rocha e rapidamente se tornou um best seller, tanto na versão em inglês como na versão em português.

Ele foca muito mais em hábitos não técnicos do que fatores técnicos e consegue ser interessante tanto para pessoas em inicio de carreira como pessoas que já tem certa experiência na área.

No final de cada hábito, tem uma seção chamada “Perguntas e Respostas”, onde desenvolvedores sênior e pessoas que atuam como líderes de tecnologia em algumas das maiores empresas do mundo são entrevistadas e elas passam a visão pessoal delas sobre como lidam com cada hábito.

Disclaimer: O objetivo desse texto não é falar sobre cada um dos hábitos que estão presentes no livro, mas sim de algumas partes que me chamaram a atenção.

Fun Fact

Uma coisa curiosa que aconteceu é que estava na casa dos meus pais e meu pai estava me observando lendo no Kindle, então ele ficou super curioso sobre o aparelho.

Quando terminei a leitura, deixei em cima da mesa e ele começou a fuçar e depois de algum tempo finalmente conseguiu ligar o Kindle 😂

O livro que estava aberto era justamente 14 Hábitos de Desenvolvedores Altamente Produtivos, então ele leu os dois últimos capítulos, gostou bastante e inclusive acabou comentando com minha mãe algumas das coisas que estavam escritas.

Ou seja, ao contrário de muitos livros de tecnologia, esse livro tem uma leitura muito fluida e pode agradar até mesmo pessoas que não atuam com desenvolvimento.

Sobre hábitos e consistência

Consistência é importante na vida pessoal e esse mesmo conceito também se aplica à nossa carreira profissional. Os hábitos que a gente decide cultivar (ou não cultivar) determinarão parte das nossas futuras oportunidades de vida. Eles parecem fazer pouca diferença em um determinado dia e, no entanto, o impacto que eles proporcionam ao longo dos meses e dos anos podem ser enormes. É apenas quando se olha para trás dois, cinco ou talvez dez anos depois que o valor dos bons hábitos e o custo dos maus se tornam surpreendentemente aparentes.

Esse é um livro sobre hábitos e hábitos só começam a fazer parte da rotina se a gente praticar todos os dias, então no fim de cada capitulo também tem uma seção marcada como TO-DO, com algumas tarefas para ajudar a consolidar esses hábitos no dia a dia.

Dizer ‘Não’

Uma das coisas abordadas no livro que ainda hoje eu tenho muita dificuldade é praticar a arte sutil de dizer não.

Dizer não à aquela nova lib que acabou de ser lançada e ainda não vale a pena usar, dizer não à aquele convite para palestrar em determinado evento ou dizer não pra assumir novos compromissos que de repente não fazem sentido no momento.

Precisamos aprender a dizer mais vezes não para poder dizer mais sim para coisas que realmente importam pra gente.

Jogos Finitos e Infinitos

Em 1986, o filósofo James Carse lançou seu livro Jogos Finitos e Infinitos: Uma Visão da Vida como Jogo e Possibilidade, onde introduziu dois tipos de jogos: Finitos e Infinitos.

Um jogo finito são jogos com jogadores conhecidos, regras fixas e objetivos estabelecidos.

Por exemplo, o futebol é um bom exemplo de jogo finito.

Já um jogo infinito, é definido como aqueles em que existem jogadores conhecidos e desconhecidos, as regras podem mudar a qualquer hora e o objetivo não é vencer, mas sim continuar jogando.

Sendo assim a programação seria um jogo infinito.

Isso porque sempre existem novas pessoas entrando no mercado de trabalho, novos conceitos surgem todos os dias, novos padrões são inventados e novos problemas (e bugs 😅) sem que a gente espere por eles.

Pessoas que jogam o jogo infinito estão menos preocupadas com a intensidade e mais focadas na consistência. Isso porque é impossível manter intensidade por longos períodos jogando jogos infinitos, claro que eventualmente vamos precisar de alguma intensidade mas é improvável que a gente consiga manter ela por muito tempo.

Em jogos infinitos não sabemos exatamente quando veremos os resultados, já que cada pessoa é diferente e existem milhares de variáveis, então os resultados vão aparecer em momentos diferentes.

Sendo assim, precisamos de consistência e não intensidade.

Escrever códigos pro nosso eu de amanhã

Outro ponto legal que o livro aborda é da gente sempre se perguntar se nosso futuro eu entenderá o código que estamos desenvolvendo agora.

Isso porque muitas vezes a gente escreve código para o nosso eu atual, mas precisamos escrever códigos pensando no nosso eu do futuro. Nosso eu atual tem todo o contexto necessário para entender o código escrito hoje, enquanto nosso eu futuro pode ser uma pessoa completamente diferente do nosso eu atual, que vai estar envolvido com outras coisas e provavelmente não se lembrará do que a função X ou o método Y significa.

Automaticamente isso nos ajuda a escrever códigos mais legíveis, tanto pra gente quanto pra outras pessoas.

Se interessar no negócio

Existem outros dois hábitos super importantes presentes no livro que também acabei citando no vídeo sobre 10 coisas que faria se estivesse iniciando minha carreira como desenvolvedor.

Um desses hábitos é sobre a importância de ir sempre além de código e buscar conhecer melhor a atuação de outras áreas que impactam no nosso trabalho e também sobre a área de negócios.

Entender mais sobre tudo que impacta no nosso dia a dia é importante inclusive para que agente consiga ser mais assertivos sobre o orçamento dos custos e tempo de desenvolvimento de determinadas tasks. Isso que é algo que pessoas de todos os níveis de senioridade tem dificuldade.

Projetos paralelos

O outro hábito é uma coisa que costumo falar bastante, que é criar projetos paralelos, como por exemplo projetos open source, pra aprender novas tecnologias e melhorar algumas habilidades.

As vezes não é fácil manter motivação para continuar tocando esses projetos, então o livro compila algumas perguntas que podem ser feitas antes da gente se envolver ou iniciar projetos paralelos.

A importância de criar projetos paralelos é enorme para alavancar uma carreira e já falei sobre isso em outros artigos como no Como contribuir com Open Source.

Especialista ou generalista?

Também tem um capitulo inteiro falando sobre uma pergunta que sempre me fazem:

Devo ser mais especialista ou mais generalista?

O ponto de vista do livro vai de acordo com o que eu penso, ou seja… ser um pouquinho mais generalista.

Sendo que em alguns momentos da carreira vamos nos aprofundar e ser mais especialistas em determinados assuntos e em outros momentos vamos ser mais generalistas, especialmente quando estamos ocupando cargos de liderança.

Cheguei a comentar disso no artigo O que Front-end Developers precisam saber?

Controlando as variáveis

O livro ainda entra num tema filosófico que me agrada bastante, que é Estoicismo. Inclusive tenho uma thread no Twitter falando sobre esse assunto:

Na vida nós temos coisas que podemos controlar e outras que não podemos, uma das ideias centrais do Estoicismo é sempre focar nossas ações nas coisas que podemos controlar e aprender a reagir diante das coisas que não podemos.

Conversando com o Zeno logo no início da pandemia, falamos sobre o cenário que estávamos (e ainda estamos) vivendo e como não realmente não temos controle sobre nada que é externo a nossa vida.

Afinal de contas só controlamos nossas ações e reações. Nisso ele me disse que aproveitaria esse momento pra escrever um livro e assim foi feito.

Essa é uma variável que podemos controlar, ou seja, como usamos nosso tempo.

Assumir bons hábitos que podem melhorar a nossa vida pessoal e profissional é uma das variáveis que podemos e devemos controlar, e no fim essa é uma das maiores mensagens que o livro passa.

Conclusão

Se você gostou, vou deixar abaixo o link pra comprar o livro e também para comprar o Kindle que é uma aquisição que recomendo demais pra ajudar a melhorar os hábitos de leitura:

Valeu! 😁