Variáveis CSS: Os superpoderes das variáveis nativas do CSS

Nesse artigo (e vídeo) vou mostrar um pouco das poderosas variáveis nativas do CSS (aka Custom Properties) ❤️, que talvez sejam uma das coisas (infelizmente) mais sub utilizadas no CSS.

Esse texto é uma versão em texto do vídeo: “Variáveis CSS - Os superpoderes das variáveis nativas do CSS” que publiquei no meu canal no Youtube.

Vale a pena assistir! 😊

Evolução do CSS nos últimos anos

Nos últimos anos tivemos uma série de melhorias importantes no CSS, como CSS Grid e Flexbox e as Variáveis CSS, que na minha visão estão misteriosamente entre as coisas mais sub utilizadas do CSS.

O motivo disso talvez seja o fato das variáveis já estarem presentes faz anos e anos nos pré-processadores de CSS ou mesmo nas soluções de CSS-in-JS.

Então percebo que as pessoas acabam utilizando essas variáveis e não se interessam tanto em utilizar as variáveis nativas do CSS. Outro motivo talvez seja a própria sintaxe que é um pouco verbosa e desagrada algumas pessoas (já vi muita gente falar isso hahaha 😂).

Motivações a parte, essa é uma feature super poderosa e extremamente útil pra gente utilizar no dia a dia.

Variáveis de pré-processadores

As variáveis de pré-processadores (como Sass, Stylus ou mesmo CSS-in-JS) são estáticas, ou seja, são convertidas em valores fixos logo após o build.

Por exemplo o código (em SCSS) a seguir:

$gray: #555;
$gray-dark: #333;
$gray-darker: #111;
$gray-light: #f1f1f1;
$gray-lighter: #fafafa;
$blue: #187888;
$yellow: #e6af05;
$white: #fff;
$black: #000;

body {
  background-color: $white;
  color: $gray-darker;
}

.header {
  background-color: $gray-light;
  color: $gray-darker;
}

Vai ser compilado nesse CSS:

body {
  background-color: #fff;
  color: #111;
}

.header {
  background-color: #f1f1f1;
  color: #111;
}

Se a gente quiser, por exemplo, alterar o tema depois de clicar num botão, vai ser necessário usar estratégias como adicionar uma classe no body para sobrescrever o valor inicial.

$gray-dark: #333;
$gray-darker: #111;
$gray-light: #f1f1f1;
$gray-lighter: #fafafa;
$white: #fff;
$black: #000;

body {
  background-color: $white;
  color: $blue;

  &.theme-dark {
    background-color: $black;
    color: $gray-lighter;
  }
}

header {
  background-color: $gray-light;
  color: $gray-darker;

  .theme-dark & {
    background-color: $gray-darker;
    color: $gray-lighter;
  }
}

Que vai gerar esse CSS:

body {
  background-color: #ffffff;
  color: #187888;
}

body.theme-dark {
  background-color: #000000;
  color: #fafafa;
}

.header {
  background-color: #f1f1f1;
  color: #111;
}

.theme-dark .header {
  background-color: #111111;
  color: #fafafa;
}

Ou seja, precisaríamos alterar as cores de todos os elementos que precisassem ter os valores substituídos quando o body tiver a classe theme-dark, o que eventualmente pode ser complicado de mapear e escalar.

Outro ponto é que essas variáveis estão presas a sintaxe da tecnologia em que elas foram criadas, ou seja, compartilhar variáveis criadas no Sass para CSS nativo ou para CSS-in-JS, só é possível utilizando plugins.

CSS Variables (aka Custom Properties)

Já as variáveis nativas do CSS são sempre dinâmicas, ou seja, elas continuam disponíveis como variáveis sempre que a gente precisar acessar o valor delas.

Observem esse código em puro CSS.

:root {
  --gray-dark: #333;
  --gray-darker: #111;
  --gray-light: #f1f1f1;
  --gray-lighter: #fafafa;
  --white: #fff;
  --black: #000;
}

body {
  background-color: var(--white);
  color: var(--gray-darker);
}

O código acima vai ser sempre o mesmo código, isso porque as Variáveis CSS não dependem de nenhuma tecnologia extra pra funcionarem (como pré-processadores ou CSS-in-JS) e nem são compiladas.

Elas são simplesmente interpretadas pelo browser!

Variáveis nativas respeitam a cascata do CSS

A pseudo-classe :root representa o elemento <html> e é idêntico ao seletor html, exceto que sua especificidade é mais alta. O motivo de quase todos os elementos de uso dessas variáveis atrelarem ao :root é justamente por ter a maior a especificidade entre os elementos acessíveis no CSS.

Pode ler mais sobre essa pseudo-classe na documentação do MDN.

Dito isso, uma grande vantagem das Variáveis CSS é o fato delas estarem disponíveis (e podem ser alteradas) usando a cascata do CSS.

Ou seja, conseguimos alterar o valor de uma variável como nesse exemplo:

:root {
  --gray: #555;
}

body {
  --gray: #111;
  color: var(--gray); //#111
}

E isso abre uma série de possibilidades bem legais 😁

Criando temas facilmente

Sabendo que as variáveis nativas do CSS são dinâmicas e respeitam a cascata do próprio CSS, podemos usar uma estratégia diferente para criar temas.

Pensando no exemplo abaixo (o mesmo que usamos no exemplo de troca de tema usando as variáveis de pré-processador):

$gray-dark: #333;
$gray-darker: #111;
$gray-light: #f1f1f1;
$gray-lighter: #fafafa;
$white: #fff;
$black: #000;

body {
  background-color: $white;
  color: $blue;

  &.theme-dark {
    background-color: $black;
    color: $gray-lighter;
  }
}

header {
  background-color: $gray-light;
  color: $gray-darker;

  .theme-dark & {
    background-color: $gray-darker;
    color: $gray-lighter;
  }
}

Podemos ter o mesmo resultado utilizando as Variáveis CSS:

:root {
  --gray-dark: #333;
  --gray-darker: #111;
  --gray-light: #f1f1f1;
  --gray-lighter: #fafafa;
  --white: #fff;
  --black: #000;

  --background: var(--white);
  --background-header: var(--gray-light);
  --text-color: var(--gray-darker);
}

body {
  background-color: var(--background);
  color: var(--text-color);

  &.theme-dark {
    --background: var(--black);
    --background-header: var(--gray-darker);
    --text-color: var(--gray-lighter);
  }
}

.header {
  background-color: var(--background-header);
  color: var(--text-color);
}

Quando utilizamos as variáveis nativas não precisamos mais sobrescrever os valores em todos os elementos, podemos simplesmente aproveitar da cascata do CSS para sobrescrever o valor das variáveis dentro na classe .theme-dark.

Com isso utilizamos muito menos código e temos muito mais escalabilidade dentro da aplicação.

Sensacional né? 😍

Manipuláveis com JavaScript

Como as Variáveis CSS são dinâmicas, temos outra possibilidade interessante:

Manipular os valores com Javascript

Podemos por exemplo mudar a posição de determinado item na tela de acordo com a posição do cursor, apenas alterando os valores das Variáveis CSS.

:root {
  --move-x: var(0);
  --move-y: var(0);
}

.logo {
  left: var(--move-x);
  position: fixed;
  top: var(--move-y);
}

Então é só alterar o valor das variáveis no JavaScript conforme a posição do cursor:

const $body = document.body

document.addEventListener('mousemove', e => {
  $body.style.setProperty('--move-x', `${e.clientX}px`)
  $body.style.setProperty('--move-y', `${e.clientY}px`)
})

Gif de exemplo da manipulação com JavaScript

Isso é totalmente demais 🤯

Recomendo que assistam no video a parte que demonstro a manipulação com JavaScript e também podem testar no exemplo que deixei no Codepen:

São agnósticas sobre a stack de CSS utilizada

Outra vantagem das Variáveis CSS é que elas são agnósticas com relação as tecnologias de CSS utilizadas no projeto.

Precisei fazer uso disso no Venice, o Design System da Juntos Somos Mais.

A gente precisava que coisas como cores, espaçamento e tipografia fossem compartilhadas entre todos os projetos da empresa. Mas os projetos usam stacks variadas de CSS, como: Styled Components, Stylus e Sass, a única tecnologia comum entre todas elas é o próprio CSS.

Então as variáveis nativas do CSS resolveram essa questão pra gente, bastando importar a lib do Venice nos projetos e as variáveis já estão disponíveis no projeto.

Além de serem dinâmicas e fáceis de usar, elas funcionam em qualquer cenário.

Desvantagens: Media Queries

Não sei exatamente se é uma desvantagem, mas com certeza uma limitação, infelizmente não conseguimos usar Variáveis CSS como valores das media queries

Ou seja, isso não funciona:

:root {
  --screen-sm: 768px;
}

body {
  @media (min-width: var(--screen-sm)) {
    ...
  }
}

Nesse caso ainda precisamos usar variáveis de pré-processadores para funcionar como esperado.

Por outro lado, conseguimos alterar o valor de variáveis dentro dos media queries, aproveitando da cascata que mostrei anteriormente.

body {
  @media (min-width: 768px) {
    --background: var(--black);
    --text-color: var(--white);
  }
}

Suporte

CSS Variables - Can I Use

Como podem ver, as Variáveis CSS tem suporte total em todos os navegadores modernos.

E existem uma série de plugins (alguns que rodam no PostCSS), como o css-vars-ponyfill que basicamente transformam as Variáveis CSS em valores estáticos, dando assim suporte para navegadores antigos.

Conclusão

As Variáveis CSS ainda estão entre as coisas mais sub valorizadas do chamado CSS módulo 4, mas são muito poderosas e podem ajudar demais no dia a dia.

Espero que tenham gostado do texto (e do vídeo) ❤️